| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

mundo da descoberta
Desde: 11/08/2010      Publicadas: 40      Atualização: 26/03/2011

Capa |  animes  |  classificados  |  contato  |  contos urbanos  |  games  |  medicina  |  tecnologia  |  tirinhas


 medicina

  13/08/2010
  5 comentário(s)


a auto-hemoterapia

descubra sobre o tratamento.

a auto-hemoterapiaAuto-hemoterapia é uma prática ligada a isoterapia, que consiste na recolha de sangue a partir de um vaso sanguíneo, e administração desse sangue por via intramuscular à própria pessoa. Prática que supostamente fortalece o sistema imunológico.

mais coisas:
A técnica é simples: retira-se o sangue de uma veia comumente da prega do cotovelo e aplica-se no músculo, braço ou nádega, sem nada acrescentar ao sangue. O volume retirado varia de 5ml à 20ml, dependendo da gravidade da doença a ser tratada. O sangue, tecido orgânico, em contato com o músculo, tecido extra-vascular, desencadeia uma reação de rejeição do mesmo, estimulando assim o S.R.E. A medula óssea produz mais monócitos que vão colonizar os tecidos orgânicos e recebem então a denominação de macrófagos. Antes da aplicação do sangue, em média a contagem dos macrófagos gira em torno de 5%. Após a aplicação a taxa sobe e ao fim de 8h chega a 22%. Durante 5 dias permanece entre 20 e 22% para voltar aos 5% ao fim de 7 dias a partir a aplicação da auto-hemoterapia. A volta aos 5% ocorre quando não há sangue no músculo.

As doenças infecciosas, alérgicas, auto-imunes, os corpos estranhos como os cistos ovarianos, miomas, as obstruções de vasos sanguíneos são combatidas pelos macrófagos, que quadruplicados conseguem assim vencer estes estados patológicos ou pelo menos, abrandá-los. No caso particular das doenças auto-imunes a autoagressão decorrente da perversão do Sistema Imunológico é desviada para o sangue aplicado no músculo, melhorando assim o paciente.


os riscos as críticas e as legalidades:
A auto-hemoterapia encontra-se rodeada em polémica. O argumento de vários defensores da prática baseia-se em relatos de pessoas que garantem ter atingido a cura graças ao uso da auto-hemoterapia, enquanto que os seus críticos apontam para a inexistência de estudos que demonstrem a sua eficácia e segurança. A falta de respaldo científico é reconhecida pelos próprios defensores do metodo.

De acordo com a legislação brasileira, apenas um médico especialista em hemoterapia ou hematologia (ou outro profissional devidamente reconhecido para este fim pelo Sistema Estadual de Sangue) pode responsabilizar-se por procedimentos hemoterapêuticos. O Conselho Federal de Medicina proíbe aos médicos brasileiros a utilização de outras práticas terapêuticas não reconhecidas por essa comunidade científica, como é presentemente o caso da auto-hemoterapia, que, assim, não pode ser considerada um tratamento médico no Brasil. A FMUSP, a Anvisa e o Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo consideram que a auto-hemoterapia apresenta riscos à saúde.

A auto-hemoterapia consiste num tipo de transfusão autóloga (para si próprio) de sangue, e assim como qualquer outra transfusão traz em si um risco, seja imediato ou tardio, devendo, portanto, ser criteriosamente indicada. A ausência de indicações comprovadas é parte do motivo pela qual a Agência Nacional de Vigilância Sanitária brasileira (ANVISA) considera o uso da auto-hemoterapia uma infração sanitária, e sujeita os envolvidos às penalidades previstas na lei.

Alguns dos defensores da auto-hemoterapia afirmam que por trás do não reconhecimento desta estariam interesses da indústria farmacêutica, já que o tratamento com a auto-hemoterapia dispensaria o uso de diversos medicamento, argumento esse que se aproxima mais de mais uma Teoria da Conspiração do que da realidade.

O Jornal do Conselho Federal de Medicina nº 168 traz "Nota de esclarecimento" afirmando que "Em face de falha na redação do artigo "Auto-hemoterapia não tem eficácia comprovada" no Jornal Medicina (XXII, 167, DEZ/2007, p.11), esclarecemos que o procedimento terapêutico denominado "tampão sangüíneo peridural" é cientificamente amparado por relevante literatura médica e remetemos o leitor ao texto que trata dessa matéria no Parecer CFM 12/07." Trata-se da permissão do uso desse tipo de auto-hemoterapia pelos anestesiologistas. Da mesma forma que é usada e permitida atualmente a auto-hemoterapia na forma de Plasma Rico em Plaquetas - PRP.
  Autor: victor cortez


  Mais notícias da seção outros no caderno medicina
14/08/2010 - outros - águas vivas
o que fazer!...



Capa |  animes  |  classificados  |  contato  |  contos urbanos  |  games  |  medicina  |  tecnologia  |  tirinhas
Busca em

  
40 Notícias